FLASHBACK SEXTA-FEIRA | A BOLHA DO TEMPO DE JAMES STEWART

James Stewart 2006

A fama é uma coisa passageira. Muitas vezes, é empurrado para um atleta em um piscar de olhos e pode desaparecer tão rapidamente. Mas, para a maioria dos pilotos de motocross, o caminho para o estrelato começa quando eles pegam sua primeira motocicleta e se desenvolvem lentamente durante os anos amadores. Se eles têm talento, apoio e boa sorte, a flor da fama floresce sobre eles nas fileiras da AMA Pro. Com bons genes, sorte e bom apoio, a fama pode durar até 10 anos antes que o piloto seja suplantado por estrelas recém-criadas. Como regra, um Campeão Nacional da AMA é capaz de permanecer famoso por muito tempo depois de se aposentar, mas a partir do momento em que desiste até o dia em que morre, sua fama é encapsulada em uma bolha - uma bolha de tempo. Ninguém que se interessou pelo esporte antes de ele chegar à fama se importa com ele, e ninguém que entrou no esporte depois que ele se aposentou o viu correr. Assim, um corredor aposentado só pode manter sua fama com os fãs que conquistou ao longo de seus 10 anos como corredor ativo. A estrela e seus subordinados envelhecem juntos.

MXA queria voltar no tempo com James Stewart - não quando ele era um famoso piloto de fábrica ou depois que a glória desapareceu, mas em suas raízes.

James Stewart Jeremy Albrecht

A primeira vez que andei de moto: “A primeira vez que montei foi no meu quintal, na Flórida. Foi um acordo assustador! Minha primeira bicicleta era na verdade de quatro rodas, mas depois mudei para motos de motocross. Lembro-me claramente de andar de 60 pela primeira vez porque tinha uma embreagem e eu estava com medo. Eu tinha 2 anos quando girei o acelerador, mas não me lembro da primeira vez. Lembro-me de quase ter entrado em casa porque tive um pouco de acelerador de uísque.

Minha primeira grande corrida amadora: “Corri contra a Loretta e acho que terminei em 41º entre 42 pessoas. Pelo menos eu venci alguém! Meu pai estava feliz por termos chegado lá e eu fiz parte disso. Foi uma experiência divertida, mas algumas dessas crianças foram muito rápidas. Eu tinha 5 ou 6 anos na época. ”

Minha primeira corrida profissional: “Eu corri no Anaheim Supercross quando tinha 16 anos. Havia muita propaganda nessa corrida, mas quando você é mais jovem, não presta muita atenção a toda a conversa. Eu fui lá para fazer uma coisa: vencer. Foi um dia longo, no entanto. Eu tive muitos acidentes e acabei em segundo, mas ainda era bem legal. Eu estava realmente nervoso por estar na frente de tantos fãs, e foi uma experiência completamente diferente. Corri contra vários pilotos com quem nunca tinha alinhado no mesmo portão, então era algo novo. ” 

A primeira vez que percebi que poderia fazê-lo como profissional: “No meu último ano nos anos 80, eu estava indo muito bem, então me dei conta de que eu poderia me tornar um profissional. Então, logo depois, subi para a classe 125 e só consegui sair a 100 metros do portão na minha primeira corrida antes de deslocar meu ombro. A pista em que eu estava correndo tinha as classes A, B e C em um portão, então mais de 50 caras se alinharam um ao lado do outro. Comecei do lado de fora e me envolvi em um amontoado. Eu era tímido quando voltei, mas depois ganhei no Texas e no World Minis. Quando subi e montei A em Loretta, percebi que poderia ser um piloto profissional. ” 

Meu primeiro título no campeonato: “Meu primeiro título foi o Campeonato Nacional da AMA 125. Ao longo da temporada, eu não estava competindo pelo título. Eu estava apenas tentando vencer todas as corridas que pude. Comecei o ano com vitórias em Glen Helen e Hangtown, mas depois a temporada ficou um pouco difícil depois disso. Lembro-me de sair da pista em Millville quando Chad Reed venceu, e eu sabia no meu coração que ele me bateu de frente, mas consegui me recuperar. Quando terminei o título em Binghamton, foi uma ótima experiência, mas a sensação de vencer não afundou até o final da temporada. ”  

Meu primeiro truque: “Por um tempo eu estava realmente no estilo livre. Na verdade, eu nem praticaria motos ou algo assim; em vez disso, circularia meu salto na linha de chegada e faria truques no estilo livre. Meu primeiro truque foi um nac-nac quando eu tinha 60 anos. Havia uma mesa em Muddy Creek, e eu fazia nac-nacs a cada volta. Chegou ao ponto em que eu poderia pegar as garras do Super-homem e as latas sem pés, mas depois bati uma vez e parei. ”

A primeira vez que conheci uma pessoa famosa: “A primeira pessoa famosa que conheci foi Mark-Paul Gosselaar. Eu estava em Daytona para assistir ao Supercross quando tinha 14 anos e saí para jantar com Todd Hicks, da Fox Racing. Foi um grande jantar com um monte de adultos, e eu estava entediada porque eu era a única criança lá. Então eu olhei através da mesa e vi Zach Morris de Salvo pelo gongo sentado lá [riso] O engraçado é que eu continuei chamando-o de Zach em vez de Mark, porque não conseguia lembrar o nome verdadeiro dele. Desde então, conheci algumas pessoas famosas, e duas das mais famosas foram Michael Jordan e Tiger Woods. ”

 

você pode gostar também