FLASHBACK SEXTA-FEIRA | COMO EU GANHEI MEU PRIMEIRO AMA NACIONAL

 

COMO GANHEI MEU PRIMEIRO MOTOCROSS NACIONAIS AMA | Jake Weimer

By Jake Weimer

No dia da corrida do AMA 2009 National de 250 em Lakewood, Colorado, acordei com meu despertador às 8h30. Não havia pressa; o Lakewood National foi a única noite nacional no circuito. Gostei da pista de Lakewood. O Colorado é diferente por causa da altitude elevada e da subida íngreme e curta. Em todas as outras pistas, começo na segunda marcha, mas no Colorado, tive que começar na primeira. Isso foi meio estranho.

Eu só consegui o 11º portão para a primeira moto, então tive meu trabalho cortado para mim. Enquanto eu assistia todos se alinharem, os caras mais altos estavam alinhados no centro perto da casinha de cachorro. Com a mão direita do Colorado, subindo a primeira curva, você não queria ser desligado antes de chegar ao topo da colina, então todos os mocinhos queriam estar no centro do portão para que pudessem varrer o topo da colina. Fiquei tentado a me mudar para um portão ao lado deles. Mas notei que no primeiro portão, que seria o último lugar que eu normalmente escolheria, o trator não rasgara a sujeira pelos marcadores amarelos. A sujeira não gravada na frente do portão me atraiu porque eu não precisaria atravessar a lama discada - e seria muito mais fácil conseguir o salto com um cara do 20º lugar ao seu lado, em vez de começar entre Ryan Dungey e Christophe Pourcel.

Foi uma aposta, mas minha estranha escolha de portão funcionou. Dobrei a primeira esquina em segundo lugar. Honestamente, não há muito o que falar depois disso. Eu segui Christophe Pourcel a primeira moto inteira. Eu sentei atrás dele, e foi isso.

De acordo com as regras da AMA, eu peguei o mesmo gate pick na segunda moto que eu peguei na primeira moto. Eu esperava conseguir o mesmo portão que usei na primeira moto, mas, infelizmente, Matt Lemoine escolheu o primeiro portão. Eu alinhei ao lado dele. Mais uma vez, foi uma aposta. Se Matt me derrotasse, eu estaria na sujeira do disco e ficaria preso no interior da curva subida. Surpreendentemente, pulei Lemoine e fiquei em segundo lugar novamente. Martin Davalos estava liderando, mas na terceira reta, passei por ele para a liderança.

Eu nunca tinha experimentado andar na frente de um National antes. Foi uma sensação desagradável. Estava a rodar forte e, com certeza, na terceira volta, caí. Ambos Justin Barcia e Martin Davalos passou por mim. Levei menos de uma volta para dar a volta em Davalos pela segunda vez, mas Barcia tinha um pouco de vantagem. Abaixei minha cabeça e tentei pegá-lo. Em quatro ou cinco voltas, eu estava na roda traseira dele e fiz o passe no mesmo local onde passei por Davalos.

Estranhamente, uma vez que estava na frente de novo, me senti muito bem. Eu não estava mais apertado. Eu ganhei a segunda moto e foi uma sensação inacreditável. Não só porque ganhei a moto, mas também consegui a vitória geral. Meu objetivo sempre foi subir ao pódio em um Nacional. Quando você excede uma meta definida para si, é uma sensação incrível.

Para comemorar, fui ao restaurante Old Chicago Pizza de Denver e comi um pouco de pizza. É claro que, nos dias seguintes à corrida, recebi muitas ligações telefônicas, porque todo mundo quer conversar com você quando você está ganhando [riso].

FLASHBACK MOTOCROSS FRIDAY | ARQUIVO COMPLETO

Lakewood National 2009campeonatos nacionais de motocross amachristophe pourcelFLashback sexta-feiracomo eu ganhei meu primeiro nacionaljake weimerJUSTIN BARCIAPizza Old Chicagoequipe de circuito profissionalryan dungeyThor-flashback