FLASHBACK SEXTA-FEIRA: A PRIMEIRA VITÓRIA DO MXDN DA EQUIPE EUA

faded-glory-1981-mxdn-teamNo sentido horário, do canto superior esquerdo: Johnny O'Mara, Chuck Sun, Donnie Hansen e Danny LaPorte foram a primeira equipe dos EUA a ganhar o indescritível troféu Motocross des Nations Chamberlain.

Todo mundo adora uma história sobre um azarão se levantando e suplantando a estrela estabelecida. Hollywood geralmente sensacionaliza a narrativa, construindo drama criando um antagonista tão desprezado que o público coletivo não pode deixar de torcer pelo protagonista. Pense em Ivan Drago em "Rocky IV" ou T-1000 em "Terminator 2." No motocross, houve muitos eventos históricos que transitariam bem para a tela grande, nada mais que a surpreendente vitória do time dos EUA no Motocross des Nations de 1981.

Gerações mais jovens acharão difícil acreditar que os Estados Unidos nem sempre tenham sido uma potência global do motocross. Até 1981, potências européias como Bélgica, Inglaterra e Suécia produziam os melhores talentos. Esse ponto foi divulgado nos eventos anuais do Motocross des Nations. Realizados todos os anos a partir de 1947, nomes como John Draper, Jeff Smith, Derek Rickman, Bengt Aberg e Roger DeCoster foram fundamentais para pilotar suas equipes nacionais para a vitória. Os Estados Unidos, por outro lado, não haviam sido apresentados ao motocross até 1966 por Edison Dye e Torsten Hallman. Os americanos eram neófitos no esporte, superados pelo establishment europeu em todos os aspectos.

A equipe EUA realizou seu primeiro esforço em 1972 com Brad Lackey, Jim Pomeroy, Jimmy Weinert e Gary Jones. Eles terminaram em sétimo; uma exibição respeitável, dadas as circunstâncias, mas elas nunca estavam na corrida. A equipe EUA melhorou constantemente na classificação geral, até 1979, quando não conseguiu enviar uma equipe devido ao desinteresse dos fabricantes e de seus pilotos americanos patrocinados. Novamente em 1980 não havia uma equipe. Parecia que a presença da América no Motocross des Nations havia terminado.

O DECOSTER GANHOU A HONDA GESTÃO PARA APOIAR A CHUCK SUN, DANNY LAPORTE, DONNIE HANSEN E JOHNNY O'MARA NA REPRESENTAÇÃO DA EQUIPE EUA. Tenha em mente que ninguém na equipe ganhou um título em 1981. Assim, eles foram considerados a "equipe B".

É aqui que a história fica boa. A MXA iniciou um esforço de angariação de fundos para enviar uma equipe em 1981. Colocar uma equipe não foi fácil. A maioria das estrelas americanas não queria ir, mas graças a um pequeno grupo apaixonado liderado por MXA, Larry Maiers e JJ Hanfield, o dinheiro foi levantado. Tudo o que precisávamos era de uma equipe - mesmo que as estrelas não o fizessem. Roger DeCoster, 16 vezes vencedor no Motocross e Trophee des Nations da Team Belgium, achou que os Estados Unidos deveriam estar representados no MXDN em 1981. DeCoster contratou a gerência da Honda para apoiar Chuck Sun, Danny LaPorte, Donnie Hansen e Johnny O'Mara em representar a equipe dos EUA. Lembre-se de que ninguém na equipe havia conquistado um título em 1981. Como tal, eles eram considerados a "Equipe B".

A equipe EUA iniciou sua aventura na Europa ao disputar o evento Trophee Des Nations de 250cc em Lommel, Bélgica. A areia profunda e as condições traiçoeiras praticamente garantiram uma vitória belga ... só que não aconteceu. Andre Vromans, da Bélgica, venceu o 250 geral, mas o Time EUA conquistou os próximos lugares para conquistar sua primeira vitória no Trophee Des Nations. Foi uma vitória monumental para uma adversidade que enfrentava oprimidos e superava as probabilidades em solo estrangeiro.

A equipe dos EUA ainda tinha negócios inacabados. Uma semana depois, o Motocross des Nations de 500cc foi realizado em Bielstein, Alemanha Ocidental. O macacão chegou ao fio na lama entre a América e a Inglaterra. Poderia ter sido de qualquer maneira, mas então Lady Luck brilhou intensamente na equipe EUA quando o britânico Graham Noyce sofreu um pneu furado. A maré havia mudado. Os Estados Unidos conquistaram um ponto em relação aos britânicos e surgiram com o cobiçado Peter Chamberlain Trophy.

O membro vencedor, Danny LaPorte, conta: “Ainda hoje, lembro-me de entrar nos boxes depois de termos selado a vitória e ter visto a emoção nos rostos dos meus colegas americanos. Até os europeus se reuniram ao nosso redor e comemoraram nossa vitória. Foi fantástico! Os fãs estavam pulando as cercas e queriam autógrafos. Ganhar um campeonato nacional nem chega perto da sensação de ganhar o Motocross des Nations. Havia muita emoção.

A equipe EUA ganhou 13 macacões MXDN seguidos e o interesse americano no evento anual mundial de motocross foi renovado. Tudo foi devido a um pequeno grupo de pessoas que acreditavam no motocross americano tanto quanto em um azarão.

SUBSCRIBEINTERNAL AD ROCKYMOUNTAIN

você pode gostar também