FLASHBACK SEXTA-FEIRA | NUNCA HÁ OUTRO OUTRO DANY "MAGOO" CHANDLER

Danny "Magoo" Chandler 

Nunca haverá outro Danny "Magoo" Chandler. Seu estilo de pilotagem valeu a pena uma legião de fãs leais. Mas enquanto sua ousadia o agradava aos fãs, não era uma fórmula para o sucesso. Na verdade, acabou levando à tragédia para Magoo. Nos primeiros anos de sua carreira na AMA, Magoo, nascido em Sacramento, foi uma raridade. A primeira vez que ele apareceu em Hangtown para competir no 125 National, ele teve que ficar em uma caixa de leite para entrar na bicicleta. No Super Bowl de Motocross de 1976, Magoo terminou em 16º na classe 500 de apoio. Ele correu muito mais alto que isso, mas voou para fora da pista várias vezes a toda velocidade, muitas vezes entrando novamente na pista sem desligar.

Somente em 1978, Magoo fez sua primeira marca oficial no circuito da AMA. Ele ganhou três dos 10 primeiros lugares no 125 National e conseguiu seu primeiro pódio - um terceiro - no Escape Country 125 National em Trabuco Canyon, Califórnia.

Magoo viajou para Maico em 1979 e 1980. 

Maico assinou contrato com o Magoo em 1979, e o confiável Maico e o Magoo fora de controle foram uma partida feita no Hades. Ninguém na história do esporte caiu tantas vezes quanto Magoo em 1979 e 1980, mas seus passeios no Maico não foram por nada. Magoo chamou a atenção do gerente da Team Honda Roger DeCoster que, embora não impressionado com as palhaçadas de Magoo, viu algo especial no homem selvagem do NorCal. Quando houve uma aula de suporte na Team Honda para a série Trans-AMA de 1981, Magoo recebeu a ligação. Ele aproveitou ao máximo, ganhando e se mudando para a Team Honda em tempo integral em 1982.

Durante seu tempo na Team Honda, Danny Chandler venceu quatro 500 Nacionais, terminou em terceiro no Campeonato Nacional de 1983 de 500 e chocou o mundo ao vencer o USGP de 1982 em Carlsbad. E ele fez isso depois de ser picado por uma abelha, apesar de ser extremamente alérgico.

Chandler congelou sua reputação quando ele montou como um homem possuído na corrida de 1982 da ABC-TV Superbikers. A vitória de Magoo lhe valeu uma vaga nas equipes americanas de Motocross e Trophee des Nations de 1982. Em Gaildorf, na Alemanha, e Wohlen, na Suíça, Magoo se tornou o único piloto da história do motocross a vencer as quatro motos. Magoo não poderia ter sido um herói maior, mas tudo estava prestes a mudar para o simpático ruivo.

Chandler foi escolhido em 1985 pela KTM e venceu o GP da França de 1985.

Chandler se machucou no período de entressafra que antecedeu a temporada de 1984 e só chegou ao top 10 duas vezes durante o ano todo. Honda o largou. Sem outras ofertas, Magoo concordou em competir pela equipe Kawasaki nos 500 Campeonatos Mundiais. Magoo não pôde acreditar quando Kawasaki lhe disse que teria que deixar o piloto da estrela, Georges Jobe, passar por ele se os dois se aproximassem. Magoo disse que não iria mergulhar para ninguém e sair da Kawasaki. Ele foi rapidamente escolhido pela Team KTM e venceu o GP da França de 1985.

Infelizmente, três meses depois, Magoo foi ao Supercross de Paris e sua vida mudou para sempre. Depois de ficar paralisado naquele dia em Paris, em 1985, Magoo se reinventou como promotor de corridas de mountain bike, instrutor de motocross, palestrante motivacional em segurança e coordenador do DARE. Ele adorava a idéia de ajudar as pessoas menos afortunadas que ele (e muitas vezes durante esse período havia poucas pessoas menos afortunadas que Danny) administrando a organização International Riders Helping People (IRHP). Aos 50 anos, Danny finalmente estava em paz com quem ele era e o que poderia alcançar. Infelizmente, Danny faleceu repentinamente após uma breve doença em 5 de maio de 2010.

você pode gostar também