BOA SORTE VÁ COM DEUS! MIKE BELL (1957-2021)

Mike Bell foi nomeado para o Hall da Fama da AMA em 2000.

Mike “Too Tall” Bell faleceu no fim de semana passado do que foi relatado como um ataque cardíaco, enquanto praticava mountain bike. MIke tinha 63 anos. Mike Bell correu pela Team Yamaha durante toda a sua carreira profissional. Sua maior reivindicação à fama foi ganhar o campeonato AMA Supercross de 1980, mas Bell se mostrou muito versátil ao longo de sua carreira profissional de sete anos, vencendo um total de 20 eventos AMA e Trans-AMA.

Filho do famoso afinador de quatro tempos Bill Bell, que trabalhava na conceituada loja da Honda em Long Beach. Mike e sua família participaram das acaloradas guerras de motocross de SoCal, em que os pilotos mais rápidos participavam até quatro vezes por semana em pistas tão diversas quanto (pistas noturnas) Ascot, Irwindale, Lions e OCIR e (pistas diurnas) Saddleback , Carlsbad, Indian Dunes e Escape Country. Mike começou a pedalar aos 10 anos nas montanhas fora de Los Angeles, onde sua família tinha uma cabana, mas, ao contrário de muitos de seus contemporâneos que começaram muito mais jovens, Bell só começou a correr aos 14 anos.

Mike “Too Tall” Bell na capa de maio de 1980 da MXA.

Durante o início da década de 1980, lesões no joelho mantiveram Mike fora de sua bicicleta durante longos períodos de reabilitação. Seu último ano de corrida foi em 1983. Ele marcou sua última vitória no Dallas Supercross em 1983. Ele se aposentou no final da temporada de 1983.

Minha primeira bicicleta: “Éramos praticamente uma família de motociclistas crescendo. Quando eu tinha 10 anos, pilotei a Honda 50 da minha avó. Então meus pais me deram uma Honda 110. A primeira moto que usei em uma corrida foi uma Sachs 125 que pegamos emprestada de um amigo. Para a minha formatura do décimo ano, eles compraram para mim um cilindro quadrado Maico 250 e a partir daquele momento eu era um verdadeiro motociclista. ”

Meu primeiro Superbowl de MX: “Foi em 1974 na corrida de exibição High School MX. Naquela época, muitas escolas secundárias tinham equipes de MX e tivemos que correr uma qualificação para entrar. Marty Smith era um sênior e já um piloto de fábrica, então ele era tudo em que todos pensavam. Eu peguei o holeshot e tudo que eu conseguia pensar era "quando o Marty me ultrapassará?" Ele finalmente o fez a duas voltas do fim. Esse foi provavelmente o meu melhor segundo lugar de todos os tempos! ”

Meu primeiro passeio de fábrica: “Enquanto corria na CMC, sempre tive boas motos. Meu pai construiu para mim um Honda Elsinores rápido. Eles eram exatamente como os hot rods que ele costumava construir, verdadeiros travessas. Eles pareceriam simples, mas eram rápidos e feitos para durar. Em 1976, peguei uma carona com a DG para correr com uma Suzuki na classe de apoio Trans-AMA. Mesmo que eu não tenha me saído bem, isso começou a me fazer notar. A meio da temporada de 77 a Yamaha contratou-me. Eu ganhei a classe USGP Support naquele ano e depois ganhei um passeio de fábrica em 1978. Lembro-me da primeira vez que voei para uma corrida. Era como uma experiência fora do corpo fazer as malas por três dias e depois dirigir para o aeroporto. Foi a primeira vez que senti que estava no negócio de ser um motociclista. ”

Minha primeira vitória no Supercross: “Voltei ao Los Angeles Coliseum em 1978 como piloto de fábrica da Yamaha. Foi uma noite incrível para mim, porque acabei vencendo meu colega de equipe Bob Hannah e ele queria muito a vitória. Na verdade, Bob era tão agressivo que acho que não sobrou nenhum número na minha bicicleta depois daquela corrida! Na manhã seguinte, acordei e honestamente pensei que era tudo um sonho. Achei que tinha sonhado em ganhar até que olhei na minha cômoda e vi o troféu ali. ”

Mike Bell 1983 YZ250-067

Meu primeiro campeonato: “Ganhei o título de Supercross da AMA em 1980. Tive muita força naquele ano porque acabei vencendo sete eventos principais. Na verdade, terminei o título na Filadélfia. Foi uma cabeçada dupla e ganhei na primeira noite. Tudo que eu tinha que fazer era terminar em décimo ou melhor na noite seguinte e eu fiquei em segundo atrás de Broc. Acho que o que mais me lembro foi de receber os parabéns dos outros pilotos. Kent Howerton era um verdadeiro competidor feroz e ele veio e apertou minha mão. Gaylon Mosier tinha algumas palavras gentis e o problema era que esses eram os caras que eu realmente respeitava quando era criança. A cereja do bolo era ir para a última rodada em San Diego e vencer aquela também. O promotor me deu 75 ingressos para meus amigos e família, então foi uma ótima noite para comemorar. ”

A suspensão traseira da Yamaha de Mike Bell quebrou. enquanto liderava a classe 250 Support no Carlsbad USGP.

Meu primeiro herói: “Quando eu tinha 14 anos, meu herói era Roger DeCoster. Tudo o que eu sabia sobre o esporte era o que li no MXA e ele era “O Homem” naquela época! Roger sintetizou tudo que era legal, ele era tão estiloso. Minha primeira chance de vê-lo veio quando alguns amigos e eu cavalgamos nossas Schwinn Stingrays de Lakewood a Saddleback, que ficava a cerca de 60 milhas de distância. Saímos às 4 da manhã e nem tínhamos dinheiro para os ingressos. Demos a volta por trás para entrar furtivamente e realmente ver algumas corridas antes de sermos apanhados e expulsos. Provavelmente foi uma coisa boa que isso aconteceu, já que precisávamos de uma vantagem inicial, já que acabou sendo um dia de 00 horas. Como tantas outras crianças naquela época, eu tenho que dizer que Malcolm Smith foi outro grande herói meu e foi legal porque anos depois eu corri com seu uniforme. ”

Mike Bell e Dave Osterman. Foto: Jim Gianatsis

Minha bicicleta de fábrica favorita: “Acho que a minha bicicleta de trabalho favorita foi a OW39. A primeira vez que montei foi em Saddleback Park. Dave Osterman ligou-me para dizer que fomos convidados para testar a moto de corrida 1978cc de 500 com Heikki Mikkola. Apenas correr com Heikki já foi um ponto alto da carreira. A pista estava normalmente seca, dura e lisa nos dias de semana, mas a moto era incrível. Eu adorei e mal podia esperar para correr. Ganhei meu primeiro Nacional naquele OW39 alguns meses depois em St. Louis, Missouri. Fui 1-1 para vencer meu herói de longa data Marty Smith. Outro sonho se tornou realidade! ”

Depois de se aposentar das corridas, Mike teve uma carreira longa e bem-sucedida na indústria de motocicletas - principalmente na Oakley e nos White Brothers.

A corrida “Let Broc Bye”: “Eu rodei aquele dia em San Antonio. Fui trazido como outros companheiros de equipe para ajudar a Yamaha a ganhar o campeonato. Nunca houve nenhuma tática discutida pela gerência ou pelos pilotos. Esta foi a minha primeira oportunidade de correr na classe Nacional como piloto de fábrica. Até aquele ponto eu havia competido apenas em corridas de classe de apoio em Nacionais anteriores. Na verdade, eu tive o que muitos considerariam um acabamento respeitável, pois fui 5-4 para o 4º lugar geral, e Mark Barnett terminou em 5º. Mas para colocar em perspectiva, Broc, Danny e Bob rodaram nós dois motos. Eles estavam em uma liga totalmente diferente, mas eu estava silenciosamente orgulhoso da minha conquista do dia. ”

você pode gostar também

Comentários estão fechados.